Os 85 mais ricos do mundo têm tanto como metade da população do planeta.

Um relatório da ONG britânica Oxfam divulgado esta segunda-feira mostra que o património das 85 pessoas mais ricas do mundo equivale às posses de metade da população mundial.

Segundo o relatório Working for the Few (“Trabalhando Para Uns Poucos”, em tradução livre), as 85 pessoas mais ricas do mundo têm um património de 1,7 triliões de dólares (cerca de 1,5 biliões de euros), o que equivale ao património das 3,5 mil milhões de pessoas mais pobres do mundo.

O relatório afirma ainda que a riqueza dos 1% mais ricos do mundo equivale a um total de 110 triliões de dólares, 65 vezes a riqueza total da metade mais pobre da população mundial.

A Oxfam observou no seu relatório que, nos últimos 25 anos, a riqueza ficou cada vez mais concentrada nas mãos de poucos.

“Este fenómeno global levou a uma situação na qual 1% das famílias do mundo são donas de quase metade (46%) da riqueza do mundo“, afirmou o documento.

“No último ano, 210 pessoas tornaram-se bilionárias, juntando-se a um restrito grupo de 1.426 indivíduos com um valor líquido combinado de 5,4 triliões de dólares”, destaca o relatório.

“É chocante que no século 21 metade da população do mundo – 3,5 mil milhões de pessoas – tenham menos riqueza que uma minúscula elite que poderia caber confortavelmente num autocarro de dois andares”, afirmou Winnie Byanyima, diretora-executiva da Oxfam.

Para Byanyima, “sem um esforço concentrado para enfrentar a desigualdade, a cascata de privilégios e de desvantagens vai continuar por gerações. Em breve vamos viver num mundo onde a igualdade de oportunidades é apenas um sonho”, acrescentou.

Publicado dias antes do Fórum Económico Mundial em Davos, o relatório detalha o impacto da crescente desigualdade em países desenvolvidos e outros em desenvolvimento.

Leis e paraísos fiscais

A Oxfam fez uma pesquisa em seis países (Brasil, Espanha, Índia, África do Sul, Grã-Bretanha e Estados Unidos) e mostrou que a maioria dos entrevistados acredita que as leis são distorcidas para favorecer os ricos.

Entre os países estudados, a Oxfam destaca a Espanha, onde oito em cada dez pessoas concorda com essa afirmação sobre as leis.

A ONG também destaca outro grande problema: o dinheiro que não paga impostos, ficando em paraísos fiscais.

“Globalmente, os indivíduos e companhias mais ricos escondem triliões de dólares de impostos numa rede de paraísos fiscais no mundo todo. Estima-se que 21 triliões de dólares estejam escondidos sem registos”, informa a ONG no seu relatório.

Segundo a Oxfam, que vai enviar representantes a Davos, os participantes do Fórum Económico Mundial têm o poder de reverter o aumento da desigualdade.

A Oxfam pede que os participantes do fórum se comprometam a não sonegar impostos nos seus países ou em países onde têm investimento, não usar a riqueza económica para conseguir favores políticos que prejudiquem a democracia, apoiar os impostos progressivos sobre o património e rendimento, combater o sigilo financeiro e sonegação de impostos, entre outras recomendações.

Além disso, a ONG também recomenda o estabelecimento de uma meta global para acabar com a desigualdade económica extrema em todos os países, uma regulamentação maior dos mercados para promover crescimento sustentável e igualitário e a diminuição do poder dos ricos de influenciar os processos políticos.

Anúncios

Deixar uma resposta. Leave a reply.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s