Quer comprar um carro no estrangeiro?

Saiba como fazê-lo em nove passos

Se está a pensar em comprar um carro importado tome nota de alguns conselhos básicos sobre a legalização da viatura.

São muitos os portugueses que optam por comprar carros importados. Os números do ano passado dão conta de que em 2016 um em cada quatro carros vendidos em Portugal foi importado. Mas o que leva os portugueses a tomarem esta opção? São sobretudo as diferenças de fiscalidade que recaem sobre os preços dos automóveis nos diferentes países e que podem tornar vantajosa a compra de um automóvel num outro país. E mesmo com as alterações fiscais que entraram em vigor em 2017 (e que resultaram num aumento do imposto sobre os veículos de cilindrada mais alta e com emissões mais elevadas), comprar um carro importado ainda compensa, tal como o Dinheiro Vivo avançou em fevereiro.

1. Transporte: Há duas formas possíveis de trazer a viatura do estrangeiro. Pode optar conduzir o automóvel até Portugal ou recorrer aos serviços de uma transportadora. Não se esqueça de que se optar por conduzir o veículo precisa de contratar um pacote de matricula e seguro temporário.

2. Documentos essenciais: Para legalizar o automóvel é necessário que a viatura venha acompanhada dos seguintes documentos, segundo explica a Deco: a fatura do stand ou da declaração de venda particular; o certificado de matrícula estrangeiro ou documento equivalente; o certificado de conformidade europeu (COC) emitido pelo fabricante e a guia de transporte e respetiva fatura (se o veículo viajar em transportadora).

3. Inspeção: É um dos outros passos obrigatórios para proceder à legalização da viatura. Deverá fazer a inspeção do automóvel para se verificar a conformidade das características do automóvel com o documento que trouxe.

4. Número de homologação nacional: Terá ainda de obter o número de homologação nacional junto do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) e para isso tem de preencher o modelo 9 do IMT. Este procedimento não implica custos, segundo explica a Deco.

5. Declaração aduaneira de veículos: Deverá de seguida dirigir-se à alfândega onde irá preencher a Declaração Aduaneira de Veículo (DAV). Para isso tem de apresentar a fatura ou declaração de venda, o certificado de matrícula estrangeira, o COC e a guia de transporte, se aplicável. É neste passo que ficará a saber qual o valor do Imposto Sobre Veículos (ISV) que terá de pagar.

6. Imposto sobre Veículos (ISV): Pode ser pago nas Finanças ou em qualquer caixa multibanco.

7. Matrícula Depois de pago o ISV, é atribuída uma matrícula nacional à viatura, impressa na Declaração Aduaneira de Veículos e entregue ao proprietário.

8. Documento Único Automóvel: Depois de obtida a declaração aduaneira e a matrícula, pode circular durante um período de 60 dias (mas não se esqueça de subscrever um seguro). Durante este período terá de requerer o documento único automóvel junto do IMT. Segundo a Deco tem um custo de 45 euros.

9. Registo: O último passo é fazer o registo da viatura na Conservatória do Registo Automóvel. Custa 75 euros.

Anúncios

Deixar uma resposta. Leave a reply.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s